Covid-19: Afetados pela perda do olfato, enólogos reivindicam “vacinação prioritária” na França

Covid-19: Afetados pela perda do olfato, enólogos reivindicam “vacinação prioritária” na França

O Sindicato dos Enólogos da França solicitou, em um comunicado à imprensa nesta terça-feira (23), uma “vacinação prioritária” para os profissionais do vinho, “particularmente afetados” em sua profissão pela perda do olfato ou do paladar, causada pela Covid-19. O pedido ecoa a promessa feita também nesta terça-feira pelo presidente francês Emmanuel Macron de acelerar ainda mais a vacinação, estendendo-a à categoria dos professores a partir de abril.

“As profissões de saúde, educação e todos os que trabalham na primeira linha dos serviços de atendimento merecem vacinação prioritária, mas acreditamos que as profissões de degustação, sobretudo enólogos e sommeliers, são particularmente impactadas na sua atividade profissional, pela anosmia [perda do olfato] e pela ageusia [perda do paladar]”, declarou Didier Fages, presidente do Sindicato dos Enólogos da França.

“A Covid-19 induz aos enólogos e sommeliers o risco de não poderem mais exercer a sua profissão. A vacinação é a única ação preventiva possível”, acrescentou, pedindo “atenção especial” a essas profissões.

O sindicato francês dos profissionais do vinho enfatizou que um estudo inédito, realizado no verão de 2020 em 2.625 profissionais do vinho em 37 países, incluindo a França, entregou “resultados preocupantes”: quase 38% dos profissionais do vinho perderam o paladar ou o cheiro por causa da Covid- 19 declararam-se incapacitados para o exercício da profissão.

Entre os profissionais infectados com Covid-19 (ou seja, 2,7% dos questionados), 68% haviam perdido o olfato e 56% sofriam de distúrbios do paladar.

Durante a apresentação do estudo, no dia 10 de março, o sindicato recomendou nomeadamente o reconhecimento da anosmia e da ageusia como doenças incapacitantes e a “vacinação prioritária dos profissionais do vinho”.

 (Publicado originalmente em rfi, com informações da AFP)

 

Dra. Uva